Alimentos tóxicos ao organismo

É comum pensar que todo alimento natural traz apenas benefícios para sua saúde.

Porém, nem sempre isso é verdade.

Pois é, você sabia que mesmo alimentos naturais podem ser tóxicos ao organismo?

Alguns alimentos naturais, quando mal preparados, consumidos em excesso ou por pessoas com alguns problemas de saúde podem trazer grandes riscos.

Saiba quais e por que:

Carambola:

A fruta tem em sua composição o ácido oxálico, que ao ser consumido em grandes quantidades pode causar pedras nos rins de pessoas saudáveis.

Para quem já tem problemas renais, esse excesso pode trazer ainda mais complicações.

Tudo isso porque a carambola tem uma neurotoxina, que ao cair na corrente sanguínea pode causar soluços fortes, confusão mental, agitação, convulsões, sonolência, coma e até levar a morte em casos mais graves.

Diabéticos também precisam tomar cuidado ao comer a fruta, já que a glicemia alta pode causar danos aos rins.

Espinafre:

Quando cozido, pode ser consumido todos os dias sem gerar nenhum problema. Porém, o espinafre cru deve ser ingerido no máximo uma vez por semana.

Isso porque o espinafre também tem ácido oxálico, além do ácido fítico. Quando presentes em grandes quantidades no organismo, esses ácidos inibem a absorção do cálcio e ferro.

Ambos os ácidos também podem causar uma inflamação no intestino.

Assim, o consumo do espinafre cru em excesso pode desencadear cálculos renais, artrite, reumatismo e gota, além de deficiência de cálcio e ferro por interferência na absorção destes minerais.

Mandioca Brava:

A Mandioca Brava tem alto teor de glicosídeos cianogenéticos. Ao ser cozida libera o ácido cianídrico que é um verdadeiro veneno ao organismo.

Esse ácido pode causar fadiga, agitação, falta de ar, confusão mental, convulsão, coma e em casos mais graves pode até gerar a morte.

Dessa forma, a mandioca brava só deve ser consumida após ser submetida a temperaturas muito elevadas, destruindo assim o efeito do veneno.

Esse tipo de mandioca é frequentemente utilizada em farinhas apenas, e geralmente é bem difícil de encontrar.

E vale lembrar que existem mais de 200 tipos de mandioca. Então, é preciso saber a procedência do alimento antes de consumir.

Cogumelos:

Shimeji, shitake, champignon, Portobello, cogumelo-do-sol, hiratake, cogumelo salmão e cogumelo rei são alguns exemplos de cogumelos comestíveis.

Apesar de 80% dos tipos de cogumelos existentes serem apropriados para o consumos, cerca de 4 mil espécies são venenosas.

E é por isso que os cogumelos são mais um tipo de alimento que deve saber com exatidão sua procedência.

Oleaginosas:

Algumas oleaginosas podem ser bastante prejudiciais a sua saúde.

A castanha-do-pará é um exemplo. Quem faz o consumo diário dessa castanha não deve ultrapassar a quantidade de seis castanhas/dia.

Isso porque a castanha-do-pará é rica em selênio, e esta quantidade (6/dia) já representa 774% a mais da quantidade de selênio recomendada diariamente.

Ocasionalmente, ultrapassar essa quantidade não é prejudicial.

Os problemas ocorrem quando quantidades superiores são consumidas diariamente, desencadeando um quadro de “selenose”.

Seus sintomas são: náuseas, vômitos, dor abdominal, fadiga, irritabilidade, descamação das unhas, perda de cabelo, mau hálito, distúrbios gastrointestinais e danos ao sistema nervoso.

Por isso o ideal é consumir apenas duas unidades de castanha-do-pará por dia (cerca de 10 gramas) e por cinco dias na semana.

Ainda existem outras oleaginosas que devem ser consumidas com cautela, como  amêndoas ou a castanha de caju. Ambas são ricas em cianeto, um veneno!  Por isso devem ser consumidas torradas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *